sexta-feira, novembro 17, 2006

...

Olho através de fragmentos de vidro coloridos. Estou deitado no chão, como em cima do Mundo, e lá acima uma clarabóia mostra-me um céu multicolor.
É um céu distorcido, este. Uma mesma nuvem mostra-se-me em diferentes cores, azul, amarelo, roxo, verde... como uma manta de retalhos estendida por sobre a estratosfera. Onde está o meu feijoeiro mágico, como posso subir e enfrentar monstros de contos de fadas? Não há, e a única porta que se abre para fora deste quarto dá acesso à realidade.
Apetece-me ficar por aqui, poder ver sempre o Mundo por vidros multicolores, distorcido mas apetecível. Ou partir a clarabóia em mil pedaços, e poder levar comigo todas aquelas cores.
Devaneios, viagem, só... A realidade espera-me teimosamente, de pés fincados no chão, lá fora. E eu preciso de me levantar. Só que a gravidade tem a força de cem gigantes, prega-me ao chão e pisca-me o olho, enquanto serve a minha preguiça.
Cerro os dentes, apoio as palmas das mãos no chão, chamo forças que não tinha aos músculos que estiveram sempre ali, distraídos de mim. Elevo-me sobre as mãos, sento-me. Os meus olhos ficam mais perto da clarabóia, assim. E tentam-me.
Não resisto. Levanto-me e estendo a mão. Os encaixes da pequena janela redonda saem do lugar, pela simples vontade dos meus dedos... e todas aquelas cores se precipitam para o chão, os cem gigantes a ajudar-me. Espalham-se pelo quarto, em sons de estilhaço.
Baixo-me, recolho todas as cores, e saio porta fora com o bolso cheio de sonhos...

8 comentários:

Fontez disse...

bonita imagem com um bom texto a condizer.
bom fds dear.

P.S. entao no outro dia foste embora do kaf a 'correr', nem uma palavra de despedida?;) humm, ia ja ter ctg pra falarmos,...pena.! fica pra proxima ;)
inte

Ghost disse...

É 1:01 da manhã, vais ser comentada numa hora capicua. Mais uma vez (e finalmente) voltaste a derramar doçura nos teus textos, não te esqueças de correr o fecho do bolso e não deixar os sonhos fugirem.

Belo, muito belo. Sim... Belo ;p

pinkpoetrysoul disse...

não...não feches o bolso...tira os sonhos do bolso e deixa que eles sejam livres...livres para voar e para se tornarem realidade...beijinho!!=)

nuno albuquerque vaz disse...

utiliza bem as cores que guardas no bolso...podes pintar o mundo inteiro com elas

impressaodigital disse...

lembraste-me "José e o manto de mil cores"... ele foi rejeitado, para depois ser amado quando se tornou poderoso...
Mas o poder estava nele, nos sonhos que tinha e que alcançou e tu guarda os sonhos, vai tirando um por um, vai saboreando-os... é bonito vivermos como de calcassemos nuvens...

o_rapaz disse...

Nandita, que saudades tinha de me perder nos retalhos de sonhos que contas como quem baila em pés de veludo.

Obrigado pelo tão belo regresso que me permitiste a este mundo que é meu, e que me fugiu por tempo demais.

Um beijo, amiga,
o_rapaz esta de volta ao mundo dos sonhos pintados ;)

Göttlicher Teufel disse...

mundo dos vidros""
gostei...

Fred disse...

gostei bastante.