quinta-feira, abril 17, 2008

Em modo automático

Custa ver-te assim, sabes? Ver-te desistir das coisas, fraquejar... porque sei que não és assim, que há mais força aí dentro do que a que te deste ao trabalho de utilizar.
Não são as frases cheias de confiança que vais despejando que me sossegam, porque é no correr dos dias que vejo que elas são só... frases. Tretas, com tantas falhas como o coração humano.
É o pouquinho que vais morrendo, dia a dia, que eu vejo. E que não me deixa acreditar. Mas são escolhas, e cada um faz as suas. Boas ou más.
"Assim", dizes-me, "custa menos". Mas...
Há sempre um mas quando falas. Mas vives atormentado pelo passado. Mas na verdade estás ainda mais amargurado que antes. Mas na verdade não consegues deixar de achar que tens poder sobre coisas que já te escaparam há tanto tempo das mãos. Mas já não és tu que estás aí. E eu não conheço essa pessoa nova e fria que apareceu. Uma autêntica muralha.
Porque agora vives em modo automático. Senhor de tudo, mas ao mesmo tempo, sem nada.
Boa sorte.

3 comentários:

David disse...

Brutal - Não será esta a melhor palavra para caracterizar este post, mas foi a primeira que me ocorreu enquanto lia este post, pois senti-me brutalmente invadido por algo em muito idêntico a uma visão. Comecei a imaginar, a ver e a sentir em mim esta forma, a forma como ouves, como sabes, como vives e saboreias e apreendes a vida de maneira autêntica, pura. Entendi, compreendi-me mais acerca das frases que soltam para mim e que me ouço dizer... vazias, demasiado gramaticais e perfeitamente sem força ou coragem que movam uma alegria ou contentamento. Vejo. o passado pode não me atormentar, mas sinto a minha amargura por não me ser capaz de deixar sair a toda a força que me reside, ficando como semi-automato social, mas com a sorte de te ler...

Mas agora, permite-me adjectivar melhor este teu post como sendo delicadamente brutal... Só pela delicadeza das palavras empregues e da pessoa que delas fez brilhante uso.

Continua a deixar que te leiam, que te pensem... Bj

Ghost disse...

Essa pessoa de que falas tem muita sorte em te ter como amiga. É um sortudo... E parvo também. Beijo =)

(e este é de verdade...)

Figo disse...

Olá,
Muito forte o que escreveu. E escreve muito bem, consegue passar muito bem através das descrições.
"Mas na verdade não consegues deixar de achar que tens poder sobre coisas que já te escaparam há tanto tempo das mãos." - Não sei se cabe esse comentário mas achei demais esse trecho. De arrepiar.