quinta-feira, junho 12, 2008

Pressa

E por entre toda a calma aparente deste mundo, os meus dias têm-se tornado complexos e aflitivos.

Passei esta noite a sonhar com coisas terriveis, confesso... Como se estivesse a dormir, mas devesse estar em qualquer outro lado, a fazer algo muito importante. E a minha mente se virasse contra mim, conspirasse para me acordar. "Tu não podes dormir! Há algo mais importante!"

Ando sempre cheia de pressa, a correr de lado para lado e a perder ainda mais tempo, de forma ridicula e automatizada. E os acontecimentos a fugir-me das mãos, sem eu poder controlar nada.

Mas acordo e vejo que, afinal, tenho tempo. Os dias são grandes, agradáveis. Hoje terei tempo para tudo... Posso irritar-me com os compromissos em hora definida, como um emprego das nove às 5. E depois, hei-de poder divertir-me. E esquecer a angústia destes sonhos que me têm perseguido.

Sou só uma pessoa, não uma máquina. E o tempo vai chegar para tudo. O tempo vai ser o que eu mandar...

E vou poder descansar... e desligar aquela voz e aqueles pensamentos. Porque só quero descansar, e isso não pode ser pedir muito.

1 comentário:

David disse...

De facto, o mais curioso e caricacto está no facto de andarmos sempre com pressa e, chegarmos ao fim, ao merecido descanso, e ver que temos tempo para o que queremos e gostamos. E assim continuamos, felizes e com pressa.