domingo, abril 03, 2005

Frésias - ou como chegou a Primavera

Diz-se das frésias que são as flores preferidas de Eugénio de Andrade. Há dois anos levámos-lhe um ramo delas, esperando com isso as suas melhoras rápidas…

Das frésias sei que são as mais belas flores que conheço. Delicadas, discretas, simples no seu aspecto e totalmente inebriantes no seu odor... não sabem o que é a felicidade se nunca sentiram o odor a frésias que se espalha por todo o jardim nas tardes mais quentes de Primavera.

Não sei o que vai acontecer na minha vida, mas sei que, ao menos por uma vez depois desta, gostaria de ter frésias na minha campa: uma lembrança aromática do que espero que a minha vida tenha sido: simples, mas que tenha deixado uma marca "inebriante"... para alguém, para algum lugar, para alguma coisa...

Agora, que é tempo de construir, vou-me deliciando com o cheiro das primeiras frésias que abriram no meu jardim: já encontrei duas roxas e uma branca, belíssima! Hão-de nascer muitas mais, cuidadas pela minha mãe, "fada-madrinha" destes canteirinhos...


Os primeiros sinais da Primavera que chega, neste ano em que a chuva foi a grande dádiva da estação amena...

4 comentários:

Zee disse...

Eu também adoro o cheiro das frésias! Aliás, acho que não conheço ninguém que não o faça... e como seria possível? A mim faz-me lembrar os dias em que tenho de ir para a escola só para não ter faltas no fim do período, em que nos sentamos nas salas e o tempo parece que voa, rapidamente estamos novamente cá fora, nos jardins, a aproveitar o bom tempo e a condolescência dos empregados (proibido pisar/sentar na relva) que parecem compreender-nos... e invejar-nos.

Na minha campa... quero frésias! E também tulipas, às corzinhas, sinto-me terrivelmente atraida pelo aspecto destas belezas holandesas!


;) Bonito post!

Nandita disse...

Cara _mad, é melhor não morrermos nunca, senão vai ser uma fortuna para manter as nossas campas ;)

Bj, brigada pelo comment (ainda n comentei o teu ultimo post porque n consigo abrir a imagem toda... ~:))

Paula disse...

Epá...a culpa é toda minha pela falta de tempo para vir aqui espreitar a "louca" nandita...

Acreditas que eu também adoro o cheiro das frésias? Mas, tenho a ligeira impressão que são poucos os que as conhecem...
Tu, pelo menos avivaste-me a memória, em plenos aspectos...

Eu cada vez que te leio, sinto-me estranha...penso naquela nandita, e vejo-a agora a crescer como uma frésia, quem sabe, debaixo de alguma letra caída de Eugénio de Andrade...

ai...

http://divinadecadencia.blogspot.com/

Paula disse...

errr....olha, preciso da tua ajuda (isto não se faz...) Passa lá no meu blog, e eu depois explico...

http://divinadecadencia.blogspot.com/